Carregando

Carreira: A Única maneira CORRETA de solicitar um aumento de salário – A estrela de carreira!

“Trabalho pra caramba”, “Não estudei tanto pra isso”, “Eu mereço ganhar mais”, “Ninguém reconhece o meu trabalho”. Frases de bolso de quem acha que merece ganhar mais, essas palavras fazem muito sentido para o empregado,  mas – acreditem – nem sempre fazem sentido para o empregador…

No mundo corporativo de capital privado, tenho observado que quem contrata espera receber serviços prestados com alta qualidade, produtividade ao máximo e, acima de tudo, empenho constante. Tudo isso por um preço ( salário ) que fora acordado ANTES de o contratado começar a trabalhar. Inclusive, SE o empregador paga em dia, segue estritamente as Leis trabalhistas aplicáveis à relação específica e possui um plano estruturado de PCS (Plano de cargos e salários), as chances de ele – empregador – sentir-se na obrigação de atender um pedido seu, de aumento de salário, não são muito boas, pois ele já se sentirá cumprindo a sua parte no relacionamento corporativo. Ponto final!

Por outro lado, se na empresa na qual o colaborador trabalha não existe um plano estruturado de remuneração estratégica e, além disso, se a quantidade de trabalho imposto na “pós-assinatura de contrato de trabalho” não parece refletir o que tinha sido acordado ( fazendo com que, inclusive, você assuma dupla função/jornada constante), aí o empregado se sentirá impelido a pedir aumento. Mas, acredite, as chances de conseguir ser atendido não melhoram. Sabe por quê? Por muitos motivos. Mas, por esse momento, me concentrarei em apenas duas falas mais comuns de diversos empregadores: “SE não estiver satisfeito, ‘tem’ um montão de gente aí fora que quer fazer o mesmo que você pela metade do que você ganha” e outra, mais comum ainda: “Cara, a empresa não pode dar aumento a ninguém”. Ponto final, de novo!

É isso aí: Se correr o bicho demite e se ficar o bicho suspende. “Tá” difícil. Aliás, sempre foram difíceis os tratos no ambiente corporativo. Entenda: pedir aumento – não importa se você merece, ou não – é entendido quase da mesma forma que pedir um favor. E acredite: nem o empregado ou tampouco o empregador apreciam dever favores aos seu par corporativo. A relação corporativa é, sobretudo, comercial e profissional. Entendam isso!!! Assim, até agora, encontrei apenas UMA FORMA correta de se “pedir” aumento! Quer saber como? Chamo de método E.C: estrela de carreira!

São cinco pontos. Primeiro: faça um trabalho espetacular, acima da média. Dê resultados, e não desculpas. Segundo: cumpra todos os requisitos contratuais do seu vínculo de trabalho. Pare de reclamar das coisas sem sentido. Terceiro: estude, especialize-se e aumente exponencialmente o seu conhecimento, não só em cursos externos, mas em tudo o que puder em relação ao funcionamento dos trâmites e setores de sua empresa, setor ou função. Quarto: invista no relacionamento interpessoal, especialmente tratando MUITO, MAS MUITO BEM o cliente da sua empresa. Por último, o quinto aspecto: deixe claro que o seu currículo está à disposição do mercado.

Nesse ponto você está pensando: esse cara está ficando louco! Pode até ser que sim, mas acredite: se o funcionário REALMENTE se empenhar no método  E.C. , o próprio gestor tomará a iniciativa de reconhecer seu valor… ou não. “Ou não?” – você pergunta. Pois é, mas se ele não fizer isso, sua estrela vai brilhar tanto que, se a sua empresa não o reconhecer como alguém ACIMA DA MÉDIA, o cliente da sua empresa o reconhecerá. O Mercado corporativo o reconhecerá. E, provavelmente, você será convidado por alguém – da sua empresa, ou fora dela – para ganhar mais. Pode acreditar nisso.

Tem dúvida de que o método funciona? Acredita que já está acima da média e nada aconteceu até agora? Acha o método totalmente sem valia? Te convido a escrever para altamirlopes@folharj.com.br e me contar sua história. Quem sabe você não conseguirá um aumento…nas suas convicções?